[FP] Oceane S. Löwin

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Oceane S. Löwin

Mensagem por Ártemis em Ter Set 08, 2015 7:02 pm

Oceane S. Löwin:
Ficha de Personagem


Nome:
Oceane Stravinski Löwin
Progenitor Divino:
Quione
Progenitor Mortal:
Andrew Stravinski Löwin
Local de Nascimento:
Montreal - Canadá
Idade:
17 ANOS
Signo:
Virgem






Características Físicas:
Não passa de 1,60, sendo consideravelmente baixa. Dona de cabelos longos e ruivos naturais,

Características Psicológicas:
Dona de um gênio forte, não aceita muito bem quando é contrariada, sabe como manipular e enganar as pessoas com seus olhos inocentes e sorriso doce. Oceane era a mais nova da família, portanto, passou a ser a mais mimada também. Nunca ficava sem o queria e quando bebê até tomava as coisas de outras crianças, mesmo que essa fossem mais velhas. Na escola, seu sarcasmo e ironia eram as forma mais comum de leva-la a diretoria, digamos que se os professores não fizessem o que ela queria então não ganhavam muito respeito. Mas do que adiantava manda-la ter uma conversa com o diretor se este sempre se convencia de sua inocência? Ótima manipuladora e atriz, enganava a todos e nunca levava a culpa de nada.

Uma filha exemplar, notas ótimas na escola, com 11 anos já falava 5 linguás fluentemente, os 13, acrescentou mais duas línguas ao seu currículo. Realmente, uma garota de ouro. Amada pela família, criada cercada de mimos, carinhos e amor, não podia reclamar de nada, nunca lhe faltou nada, sempre tinha suas vontades atendidas pelos pais.

Habilidades:
descreva suas habilidades aqui





História:

Mantive os olhos firmemente fechados durante todo o longo caminho, não me atrevi a abrir a boca nenhuma vez sequer, evitava ate respirar profundamente para não fazer barulho, a algum tempo desisti de dormir, por mais que eu fechasse os olhos e me esforçasse para entrar no mundo dos sonhos não conseguia, apenas conseguia enxergar o episodio que acontecera a alguns dias atras.

Após sair da escola, fui sozinha para casa como todos os dias, cantarolando musicas aleatórias por todo o trajeto, crente que minha vida seguiria pacata e segura, mal sabia eu que tudo estava prestes a mudar, dando um giro de 360 graus. Fora naquela tarde que minha mãe - Ou a mulher que eu acreditava que ser minha progenitora ate aquele dia - e meu pai contaram a verdade sobre minhas origens, confesso que no começo não fora fácil acreditar, mas quem me julgaria? Acreditar que você é filha de uma deusa grega não é a coisa mais fácil do mundo; Mas após perceber a expressão seria no rosto de ambos percebi que não se tratava de uma pegadinha, eu realmente era filha de Quione, a deusa do gelo.

Agora, exatos 4 dias após a descoberta, estamos a caminho da minha nova casa, pelo menos durante as ferias, pegamos a rodovia seguindo para a costa norte de Long Island.
[...]


Só me dei conta que acabei caindo no sono quando papai me acordou, avisando que havíamos chegado ao nosso destino, apenas assenti e sai do carro, me dando conta que a noite já havia caído e que estávamos parados num acostamento na beira de uma floresta, franzi as sobrancelhas de forma confusa, encarando meu pai, este apenas balançou a cabeça, segurou a mão de minha mãe - Ou minha madrasta, ainda não sabia qual denominação dar-lhe -, e ela estendeu sua mão desocupada para mim. Por mais que estivesse magoada com eles por ter escondido a verdade de mim por longos 15 anos, não conseguia ficar brava com meus pais por muito tempo; Sendo assim, aceitei a mão oferecida, mantendo a unica mochila que carregava comigo em minhas costas.

O caminho era iluminado apenas pela lanterna do papai, mas a luz era o suficiente para que enxerguemos o caminho, ninguém ousou abrir a boca durante o trajeto, aposto que cada um estava imerso em seus próprios pensamentos, era egoismo da minha parte pensar que era a unica que iria sofrer com essa separação repentina, sabia que, por mais que nenhum deles quisessem demonstrar, não queriam que eu fosse para o tal acampamento, mas aceitaram o fato para minha segurança.

[...]


Após pouco mais de 10 minutos conseguimos chegar ao nosso objetivo, Colina Meio-Sangue, nossa demora se deu ao fato de que papai acabara se perdendo no caminho e isso tomara um pouco mais de nosso tempo. Perdi alguns segundos observando a estrutura de madeira que sinalizava a entrada para o acampamento, meus olhos vagavam por todos os desenhos incrustados ali, encarei ambas as tochas, ficando hipnotizada por suas chamas, seu brilho era tão vivido, mesmo estando alguns metros longe e abaixo delas podia sentir o calor que emanava.

- Filha, - A voz de papai conseguira me tirar de meus devaneios sobre a aparência da Colina - Nos não podemos passar desse arco. - Olhei desorientada para ele, minha vontade era de leva-los comigo ate onde moraria e os esconder embaixo de minha nova cama.

- Oh, tudo bem.  - Com certeza não era a coisa mais inteligente a se dizer, mas não conseguia pensar em mais nada, estava focada apenas em manter as lagrimas afastadas.

Tentei passar um sentimento que não existia, tentei mostrar que era forte, mas todas minhas barreiras foram ao chão quando Lissand, tambem conhecida como mamãe, lançou os braços em meus pescoço e me abraçou, naquele momento não pude conter as lagrimas, papai logo se juntou ao abraço, por mais que a separação fosse por apenas nas ferias, era inevitável a sensação de que nunca mais iria vê-los, e isso realmente poderia acontecer, meu pai havia contado o quanto era difícil a vida dos semideuses.

- Nos desculpe por mentir todos esses anos. - Lissand balbuciou em meio as lagrimas, me soltando do abraço sufocante - Foi apenas para te proteger. Sei que agora deve me odiar por ter fingido ser sua mãe desde que nasceu, mas saiba que eu te amo como se fosse minha filha.

- Eu não odeio você  - Garanti com um sorriso meigo no rosto - Posso não ter nascido de você, mas sempre sera minha mãe.

[...]


Foi necessária meia hora para eu reunir coragem para me despedir dos meus pais com um Eu te amo, e rumar para dentro daquele arco de madeira, sem olhar para traz, sabia que se o fizesse encontraria meu pai abraçado a minha mãe, e esta muito provavelmente estaria chorando novamente, e isso tiraria todas minhas forçar, tinha a certeza de que correria de volta para eles. Então, decididamente, agarrada a minha bolsa, rumei Colina abaixo.




Treinos:

Missões:

Eventos:




Bênçãos:
Descreva aqui suas bênçãos

Maldições:
Descreva aqui suas maldições

Arsenal:
• Espada de Bronze [Inicial]

• Escudo de Bronze [Inicial]

• Armadura de Couro [Inicial]

• Elmo de bronze [Inicial]

• Cetro da Neve: um cetro branco, feito de prata, capaz de congelar superfícies com o contato. [Classe Livre]

• Rubis: Um colar com uma pedra da cor do sangue, ele absorve/armazena energia e vida da Feiticeira durante todo o tempo até o momento que esta precise da energia de volta. Depois do uso a pedra se torna negra até ser completado por energia novamente. {Recupera 80% de Energia e 80% de HP} {Uma vez usado, leva 30 dias in game para poder ser utilizado novamente} [Classe do Servo – Feiticeira de Circe]

Arco encantado - Arco prateado que forma uma meia lua. Sem necessidade de um aljava, as flechas aparecem de acordo com a vontade de sua portadora. Quando em repouso tem a forma de um pingente de um floco de neve. Se transforma em espada quando sua portadora deseja. Sua lâmina é longa e congela momentaneamente qualquer superfície que tocar. [Classe B - Trama]

Nidhogg - Colar com um pingente folheado a prata em forma de coração. O pingente é um porta retrato mágico, onde sempre aparecem fotos das pessoas que Emily mais ama, mas quando ativado transforma-se em uma adaga venenosa de bronze celestial com as iniciais da menina gravadas na cor índigo no punho. O veneno da adaga pode ser mortal para monstros (se atingir diretamente a corrente sanguínea) e deixa semideuses paralisados por duas rodadas. [Classe Livre - Halloween]

Um escudo feito de Bronze Celestial com vários detalhes feitos em prata com o formato de flocos de neve. Ao apertar o floco do meio, o maior de todos, o escudo adquire lâminas em sua extensão, podendo servir tanto para ataque quanto para defesa. Se o floco for pressionado novamente, o escudo volta ao normal.  [Presente de Natal - Cunhado]

Death Powder - Pequeno pote como os de pastilhas, onde é guardado um pó brilhante de aço triturado. Ao ser lançado sobre os olhos de um oponente, pode atrapalhar a visão do oponente. Caso o pó seja inalado, poderá dificultar a respiração. O pote é feito do mesmo material que o pó, sendo que o último sempre retorna para dentro do pote após passado uma rodada. [Presente de Natal - Trevor]


©PJGR - Percy Jackson Gregos e Romanos

Preencha a parte de treinos, missões e eventos com o que já fez.
avatar
Ártemis
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 465
Data de inscrição : 10/08/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum